Quinta Charrete desafia estudantes de Arquitetura a elaborar projetos durante a madrugada

- terça-feira - 07/08/2018 Regional

img
SÃO MIGUEL DO OESTE A 5ª Charrete do curso de Arquitetura e Urbanismo da Unoesc desafiou, nesse final de semana, 35 acadêmicos a desenvolver projetos arquitetônicos madrugada a dentro. Os acadêmicos iniciaram as atividades às 19h de sexta-feira (03) e entregaram os projetos às 7h30 do sábado (04). Neste ano, para os estudantes encararem acordados a maratona de projetos, participaram da aula de Zumba com o Cleiton Eduardo Pinheiro, de uma mímica arquitetônica com 20 traços e fizeram a caracterização da equipe. Durante a madrugada, os futuros arquitetos projetaram espaços de contemplação para cinco lugares pré-estabelecidos: praça do Bairro São Luiz, praça do Bairro São Jorge, Praça Belarmino Annoni e para as áreas verdes do loteamento Jardim Flamboyant e da Vila dos Oficiais. A equipe Archianos, composta pelos estudantes Eduardo Nadin, Felipe Alves, Jaíne dos Santos, Marina Dambrós e Wellinton da Silva, foi a vencedora da 5ª Charrete. Segundo a coordenadora do curso, professora Leandra Daiprai, o termo Charrete nasceu na França, no século 19, e era uma competição realizada pelos estudantes de Arquitetura, que desenvolviam projetos durante 24 horas. Recebeu esse nome, porque, no final da atividade, uma charrete passava nas ruas para recolher os projetos arquitetônicos. "A Charrete é uma atividade importante, pois permite a interação entre acadêmicos de diversas fases. Além disso, faz com que pensem em soluções para o desafio proposto em um curto espaço de tempo. A parceria com a administração municipal de São Miguel do Oeste motiva ainda mais a participação dos acadêmicos, ao perceberem que suas ideias são perfeitamente exequíveis para o município, que avalia os trabalhos vencedores do concurso e, por vezes, coloca-os em prática", avalia a professora. Para o acadêmico Matheus Balbinot Spironello, atividades como essa proporcionam espaço para o desenvolvimento de trabalhos em equipe; possibilitam a troca de conhecimentos e experiências, além de desenvolver a percepção dos problemas urbanísticos e arquitetônicos, buscando soluções.


Mais notícias: Regional

Últimas notícias: