MILHO NA SOBRESSEMEADURA DO TIFTON: UMA OPOTUNIDADE PARA PEQUENOS PRODUTORES DE LEITE

.- . quinta-feira - 14/03/2019 Regional

img

Com a necessidade de otimizar a produção de alimentos utilizando a mesma quantidade de área surgem novas tecnologias que podem ser aplicadas na agricultura. Dentre elas, a Integração Lavoura-Pecuária (ILP) é uma opção que vem crescendo constantemente. Esta técnica consiste em realizar uma diversificação, rotação, consorciação e/ou sucessão das atividades da agricultura e pecuária dentro de uma propriedade. Dentro dos conceitos do sistema ILP existe o sistema Santa Fé, cujo principal objetivo é realizar a consorciação entre culturas de grãos, a exemplo do milho e sorgo, juntamente com uma forrageira tropical, a exemplo das plantas do gênero Panicum Brachiaria (ALVARENGA et al., 2006).    

Para realizar a validação destes estudos em nossa região, através do Trabalho de Conclusão de Curso de Agronomia da acadêmica Eluísa Mombach, buscou-se realizar um ensaio de pesquisa, situado na Linha Ervalzinho, São João do Oeste, onde foram testados 8 tratamentos para produção de milho com quatro repetições cada. O objetivo do ensaio foi testar a melhor forma de manejo da consorciação entre a cultura do milho e o tifton, principal espécie forrageira de verão utilizada para pastejo em nossa região. Esta pesquisa busca uma alternativa para otimizar a utilização da área cuja cultura principal é o tifton, agregando com a produção de silagem nos meses de maior capacidade de crescimento das pastagens de verão, as quais acabam produzindo volumoso acima da capacidade de alimentação dos animais.

 A implantação do milho foi feita através da semeadura mecanizada, porém, para que o milho pudesse se estabelecer rapidamente foi realizada de forma antecipada o corte da pastagem. Durante o desenvolvimento do milho, pensando em reduzir a competição entre as culturas, existe a necessidade de fazer uma redução no crescimento do tifton, pois, as duas plantas possuem características semelhantes fazendo com que haja uma competição entre elas em relação a nutrientes, água e radiação solar. Para isso, também foram testadas doses de glifosato cuja aplicação foi realizada quando o milho já estava estabelecido. O objetivo desta aplicação foi descobrir uma dose correta para realizar o retardamento do desenvolvimento do tifton, sem causar sua completa dessecação, contribuindo para o melhor desenvolvimento da cultura do milho, que neste caso deve possuir em sua genética a tecnologia de resistência ao glifosato (RR).

Busca-se nesse experimento introduzir uma nova forma de produção, visando a produção do milho, tanto para silagem, como para a produção de grãos, aliado com uma forrageira que está prontamente disponível após a colheita do mesmo. Esse tipo de produção favorece pequenos produtores que, com uma pequena área, se tornam mais eficientes na produção, tanto em relação a redução dos custos de produção, aumento da produção de matéria seca por hectare/ano e ainda através dos benefícios do sistema ILP, relacionados a conservação do solo e da água.

As avaliações do trabalho estão sendo realizadas, e os dados preliminares vem demonstrando que este sistema pode apresentar vários benefícios para os produtores de nossa região.



Mais notícias: Regional

Últimas notícias: