Acadêmicos de Arquitetura e Urbanismo elaboram projetos durante a madrugada na 6ª Charrete

.- . quinta-feira - 08/08/2019 Regional

img

SÃO MIGUEL DO OESTE

 

A 6ª Charrete do curso de Arquitetura e Urbanismo da Unoesc desafiou, no final de semana, 50 acadêmicos a participarem de uma maratona de projetos arquitetônicos no Centro Tecnológico da Universidade. As atividades iniciaram sexta-feira (2), às 19h, e se estenderam até as 7h do sábado (3). Foi preciso muita energia e disposição para ficar acordado durante a madrugada. Para driblar a temperatura baixa e o sono, os acadêmicos apostaram em caracterizações criativas e os professores desenvolveram diversas atividades como o jogo do tabuleiro.

Este ano, os futuros arquitetos e urbanistas precisaram contemplar no projeto aspectos de bioconstrução. Antes de começar a projetar, assistiram às apresentações de estudos de casos da diplomada do curso de Engenhara Civil, Marina Schons, e do diplomado de Arquitetura e Urbanismo e secretário de Planejamento da Prefeitura de São Miguel do Oeste, Charles Dall Orsoletta.  

A equipe  Layers conquistou o 1º lugar com o projeto de um Centro de Desenvolvimento Biossustentável. A proposta foi apresentada pelos acadêmicos: Henrique Simon, Cristian Zanatta, Gabriela Roman, Bruna Stanislawski, Débora Tumelero e Laura Gava. O grupo recebeu premiação em dinheiro e Groots, que foram impressos na impressora 3D do curso. 

Segundo a coordenadora, professora Leandra Daiprai, a Charrete é uma das atividades mais aguardadas, durante o ano, pelos estudantes. "A atividade mostra aos estudantes a importância do trabalho em equipe e como as ideias podem ser melhores, quando compartilhadas e discutidas em grupo. Além disso, os acadêmicos têm a possibilidade de atender demandas municipais que podem ser implantadas", destaca a professora, acrescentando que a prefeitura de São Miguel do Oeste realizou intervenções, em alguns espaços, a partir de propostas de acadêmicos, apresentadas em edições anteriores da Charrete.

O acadêmico Henrique Simon diz que o evento proporcionou novos conhecimentos. "Tivemos a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a bioconstrução e projetar algo que traz benefícios ao município de São Miguel do Oeste", conclui o estudante. 



Mais notícias: Regional

Últimas notícias: