Experiências e perspectivas para as mulheres na política são debatidas na Câmara

.- . segunda-feira - 19/08/2019 Variedades

Seminário “Mulheres na política: elas podem, o país precisa” trouxe debate com parlamentares e profissionais sobre participação feminina na vida pública

img

Experiências políticas de mulheres parlamentares, legislação eleitoral, a história da participação feminina na política e perspectivas para a mulher na política foram alguns dos temas debatidos no último sábado (17) na Câmara de Vereadores de São Miguel do Oeste. O Legislativo foi palco do seminário “Mulheres na política: elas podem, o país precisa”, realizado durante todo o dia.  

Após a abertura, pela manhã, os cerca de 110 participantes assistiram a uma mesa redonda com as deputadas estaduais Ada de Luca, Luciane Carminatti e Marlene Fengler, mediada pela presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, advogada Vanessa Pivotto. Na sequência, foi a vez da palestra “Participação das mulheres na política: desafios e críticas”, pela advogada e mestre em Direito Cláudia Bressan.

À tarde, foi a vez da palestra “Mulher na política: histórico e perspectivas”, com a jornalista Renata Caleffi; a palestra “Participação das mulheres na eleição: aspectos legais”, com a juíza Janaína Alexandre Linsmeyer Berbigier e com a técnica judiciária Daniela Bergami Rosa; e por fim um debate com as vereadoras de São Miguel do Oeste Maria Tereza Capra (PT) e Silvia Teresinha Kuhn (MDB), respectivamente procuradora especial da Mulher e procuradora adjunta da Mulher.

EXPERIÊNCIAS NA CÂMARA

Na mesa redonda com as vereadoras, Silvia e Maria compartilharam experiências sobre seu mandato na Câmara, falando de projetos de sua autoria que viraram lei e compartilhando sua experiência como vereadoras. Silvia citou, por exemplo, o Programa Vereador Mirim, criado por projeto de sua autoria; a isenção de IPTU para pessoas com câncer, de autoria de Silvia e demais vereadores do MDB; o projeto que institui a Semana da Acessibilidade e Inclusão das Pessoas com Deficiência, em dezembro; e o Código do Bem Estar Animal. A vereadora do MDB ainda ressaltou que tramita na Câmara projeto de sua autoria voltado a ações sobre a Lei Maria da Penha e Lei do Feminicídio. “Nós temos condições de ser protagonistas de nossa história”, finalizou.

Já Maria Tereza Capra citou as mulheres presentes que participam da política, sejam vereadoras, ex-vereadoras ou suplentes, afirmando que na política nada se faz sozinho. “É fundamental para as próximas eleições que os partidos políticos abram espaços nos seus diretórios para as mulheres”, destacou. Na sequência ela apresentou um balanço de seus dois mandatos como vereadora, e falou de projetos de sua autoria – ou em parceria com outros vereadores – que já são lei: o que trata de campanha de combate aos crimes de violência contra a mulher, criança e adolescente; o que trata do exame de PSA na rede pública de saúde; o que institui o Outubro Rosa; o que institui a menção honrosa Dandara dos Palmares; o que dá prioridade no atendimento a pessoas com deficiência; o que obriga a publicação de dados sobre recursos oriundos de multas de trânsito. Ela ainda falou sobre projetos que foram rejeitados ou que estão em tramitação, citando que nem sempre conseguiu apoio para suas propostas.

AVALIAÇÃO

A procuradora especial da Mulher na Câmara, vereadora Maria Tereza Capra, avaliou como positivo o evento e destacou a numerosa participação de mulheres e homens de toda a região. “As mulheres comprovaram que têm interesse e que trabalham na política”, afirmou, referindo-se às experiências compartilhadas pelas deputadas e vereadoras presentes. Ela citou que a experiência da mulher na política remonta ao início do século XX, e que é preciso conhecer e divulgar essa história. Para Maria Tereza, vereadora em segundo mandato, é preciso se preparar para estar na política e não se deixar abater pelos reveses. “É uma luta diária”, complementa. Por fim, ela elogiou a qualidade das palestras e ressaltou que são poucas as oportunidades para se aprofundar em temas como este.

Já a vereadora Silvia Kuhn, procuradora adjunta da mulher, avaliou que “gratidão” é a palavra que resume o evento. Ela afirmou que graças ao seminário tivemos a presença de três deputadas em nosso município. “Todas as falas apresentadas comprovam que precisamos nos qualificar para ocupar os diferentes espaços. Somos tão capazes quanto os homens”, acrescentou.

REALIZAÇÃO

O evento foi promovido pela Câmara de Vereadores, através da Procuradoria Especial da Mulher, em parceria com a Escola do Legislativo Deputado Lício Mauro da Silveira, Assembleia Legislativa, Governo de Santa Catarina, Ministério Público, CRA-SC, Udesc, ENA – Fundação Escola do Governo, OAB de Santa Catarina, Banco do Brasil, Tribunal de Contas de Santa Catarina, Uvesc, Fecam, TRE-SC, IBGE, Ameosc e Aveosc



Mais notícias: Variedades

Últimas notícias: